Mosteiro da Santa Cruz

Mosteiro beneditino tradicional em Nova Friburgo/RJ

Sua religião, ou filosofia, não possui dogmas?

Fonte: Borboletas ao Luar

Uma definição simples de “dogma“:

1.teol ponto fundamental de uma doutrina religiosa, apresentado como certo e indiscutível.

2.p.ext. qualquer doutrina (filosófica, política etc.) de caráter indiscutível.

Hoje vemos pessoas que não são católicas gabando-se de pertencerem a religiões ou filosofias não dogmáticas. Ora, se tomarmos a definição de dogma como colocada acima, ou seja, um ponto indiscutível, então veremos rapidamente que eles se enganam, pois suas filosofias e doutrinas possuem sim pontos que não se discutem, logo, possuem dogmas.

Se sua religião, filosofia ou doutrina possui pontos indiscutíveis, então ela é dogmática.

Na Wicca e no Espiritualismo moderno acredita-se na Lei do Retorno. Isso não se discute. É um dogma, quer chamem assim ou não.

No Espiritismo de Kardec* acredita-se em reencarnação e isso não se discute. Acredita-se na comunicação com os mortos, e é também indiscutível.

Há vários outros exemplos, mas estes já bastam para ilustrar o que afirmo.

O Leonardo, nos tempos de Orkut disse algo muito bom e verdadeiro:

“O espiritismo é dogmático não no sentido das crenças religiosas tradicionais, mas sim no sentido de ser um corpo doutrinário que, a despeito de falar sobre temas como Deus, a natureza do universo, da alma, etc, não consegue resistir ao mínimo de comparação dialética. Ao contrário do cristianismo, judaísmo, e até mesmo do islamismo (até certa época), apresenta suas “fórmulas” doutrinárias sob uma roupagem racional, mas não consegue demonstrar, apoditicamente, nenhuma de suas afirmações. E, quando confrontado, sempre se sai com alguma falácia argumentativa do gênero. Ou o espiritismo se propõe à seriedade do debate racional, ou então, é apenas uma crença do tipo ideológica, semi-religiosa, sem o lastro que, ao menos, nutre todas as outras religiões, logo, completamente fechada, ou seja, dogmática.” 

Então, dogma, como na definição acima, existe em outros credos.

——-

*Sim, este não é o único espiritismo. Na Revista Espírita de 1869, Kardec se refere ao espiritismo americano e europeu, ou seja, ele reconhecia que havia diferenças entre o que se professava num lugar e outro, não havendo unidade. O Espiritismo de Kardec, o chamado Kardecismo, é um conjunto específico ditado e organizado por ele. Por exemplo, na Inglaterra os espíritas não aceitavam reencarnação, já os “kardecistas” não discutem este assunto, é dado como certo, logo, um dogma espírita (de Kardec, claro).

AtualidadesTextos

admin • 14 de junho de 2017


Previous Post

Next Post

Translate »