Mosteiro da Santa Cruz

Mosteiro beneditino tradicional em Nova Friburgo/RJ

VOZ DE FÁTIMA, VOZ DE DEUS Nº 19

10 de junho de 2017

Vox túrturis audita est in terra nostra”

(Cant. II, 12)

Frei Vicente do Salvador, em seu livro “História do Brasil”, conta que um herege francês, João Bouller, fora condenado à morte no tempo de Men de Sá, porque difundia sutilmente o calvinismo em nossa pátria, João Bouller fora denunciado ao Bispo Dom Pedro Leitão, que o condenou como seus erros o mereciam e, devido à sua obstinação, remeteu-o ao governador Men de Sá, que o condenou à morte.

Pe. José de Anchieta o procurou na prisão para convertê-lo e teve êxito em seu apostolado. Na hora da execução, vendo que o carrasco era pouco exercido no seu ofício, e temendo que o condenado, diante daquela angustiante situação, viesse a voltar atrás na sua conversão e perdesse sua alma, repreendeu o carrasco e o orientou no seu ofício, com o risco de incorrer em penas eclesiásticas. Mas Pe. José de Anchieta preferia correr estes riscos a ver perder-se uma alma. Assim João Bouller morreu católico; condenado, mas arrependido.

O mundo moderno não deixará de reprovar a conduta do Bispo Dom Pedro Leitão, a de Men de Sá assim como a de Pe. José de Anchieta, mas isto é devido à diminuição da fé, e não a um exame objetivo da conduta destes homens que fundaram a nossa pátria. O Liberalismo moderno não entende os tempos em que a lei do Evangelho ainda regia a vida dos povos e sobretudo a de Portugal no século XVI, pois o mundo moderno não entende a lei do Evangelho e, por isso, combate-a mesmo quando pensa defendê-la. O mundo moderno vive na ilusão: a ilusão liberal.

+ Tomás de Aquino OSB

U.I.O.G.D

AtualidadesFátimaTextos

admin • 10 de junho de 2017


Previous Post

Next Post

Translate »